Pages Navigation Menu

Câncer de olho é raro, perigoso e quase assintomático

Câncer de olho é raro, perigoso e quase assintomático

Neste ano, o Brasil deve registrar cerca de 600 mil novos casos de câncer, segundo estudos do Inca (Instituto Nacional de Câncer). A partir dessa perspectiva, o raro, mas ainda assim perigoso, câncer de olho é mais um dos diversos tipos da doença, provocando redução da capacidade visual e, na maioria dos casos, causando dor nos olhos e sombras na visão.

Há duas formas mais comuns de tumores primários dos olhos: o melanoma, que consiste em um tumor maligno que pode atingir desde a pálpebra até a camada interna responsável pela circulação de sangue e nutrição da retina; e o retinoblastoma, que é mais frequente em crianças. Os dois tipos podem acarretar a perda total da visão e, se não tratado a tempo, levar à morte.

Em adultos, a maioria dos tumores oculares tem origem em outras partes do corpo, como pulmão, mama, próstata, e se espalham pelo organismo por meio da corrente sanguínea, chegando até a região dos olhos, onde as células se instalam e se proliferam. De acordo com o oftalmologista Gláucio Bressanim a melhor maneira de prevenir a doença é realizar consultas e exames de rotina. “Assim as chances de detectar os tumores são maiores e de cura também, já que o tratamento da doença em fase inicial é mais eficiente”.

Melanoma
Este é o tipo de câncer ocular mais comum em adultos, principalmente pessoas entre 45 e 60 anos. Pode se desenvolver tanto na úvea, parte interna do globo ocular, quanto na área da conjuntiva, a membrana que recobre a parte branca dos olhos e a superfície interna das pálpebras. “Este tipo geralmente não apresenta sintomas nas fases iniciais, sendo perceptível pelo paciente geralmente nas fases mais avançadas”, diz o especialista.
O diagnóstico da doença pode ser feito através de exames que mapeiam a retina e a ultrassonografia. “Ainda que não sejam visíveis, o melanoma pode apresentar sintomas de flashes luminosos e acarretar a perda parcial ou total da visão. Até 50% dos casos também podem se disseminar para outros órgãos do corpo, caracterizando a metástase”.

Bressanim chama a atenção para que o indivíduo não confunda os sinais do câncer com os sinais de envelhecimento. “Podem aparecer manchas nos olhos com o avançar da idade. Então é importante que a pessoa faça exames rotineiros para que não confunda os sintomas da doença com os sinais do envelhecimento. Quanto mais cedo é diagnosticada a doença, mais fácil é de tratar”.

Retinoblastoma
O retinoblastoma é o tumor maligno que pode se manifestar principalmente em criança desde o nascimento até os cinco anos de idade. Ele tem origem a partir das células da retina, que é a membrana do olho sensível à luz. “Em 25% dos casos pode ter causa hereditária e comprometer os dois olhos”, explica Bressanim.
O sinal mais perceptível da doença é a branquidão da pupila ao tirar uma foto. “Quando a luz do flash da câmera bate nos olhos, a pupila fica branca, sendo este o reflexo da luz sobre a superfície do tumor”, diz o especialista.

Assim como em todos os tipos da doença, o tratamento é mais eficaz quando diagnosticada precocemente. “A obrigatoriedade do teste do olhinho ainda na maternidade trouxe grande avanço no diagnóstico precoce da doença. O pediatra deve recomendar o exame de fundo de olho para o diagnóstico definitivo”, comenta o oftalmologista. Dentre os tratamentos está a terapia local com laser, em casos de tumores menores. Já os tumores maiores são geralmente tratados a partir da braquiterapia, quimioterapia e até mesmo a remoção do globo ocular.