Pages Navigation Menu

Dicionário do Olho

  • A
  • B
  • C
  • D
  • E
  • F
  • G
  • H
  • I
  • J
  • K
  • L
  • M
  • N
  • O
  • P
  • Q
  • R
  • S
  • T
  • U
  • V
  • W
  • X
  • Z

  • A

  • Absorção polimérica
  • Capacidade do epitélio da córnea em absorver moléculas polímeras específicas; estas formam uma película hidrófila e permitem uma melhor interação com os componentes da película lacrimal.
  • Ácido sórbico
  • Conservante bacteriostático quase atóxico para o homem.
  • Acomodação
  • O processo pelo qual o músculo ciliar do olho se contrai de modo a que o cristalino fica mais convexo e permite focar os objetos mais próximos.
  • Adaptação
  • O ajustamento da sensibilidade dos receptores luminosos do olho aos graus variáveis de iluminação.
  • Advertências
  • Abrangem as informações sobre os riscos conhecidos e potenciais que estão associados à utilização de determinado medicamento, bem como os limites impostos à sua utilização. As advertências estão incluídas no folheto informativo e contêm informação sobre as medidas que se devem tomar no caso de o medicamento produzir. reações indesejáveis
  • Afaquia
  • Ausência do cristalino do olho, que pode ser congênita ou ocorrer depois da remoção do cristalino por via cirúrgica.
  • Alergênicos
  • Substâncias suscetíveis de provocam em pessoas sensíveis uma reação exagerada do sistema imunitário. Os alegênicos mais vulgares são os polens e as películas de animais.
  • Ambliopia
  • Defeito congênito ou adquirido da acuidade visual.
  • Aminoglicosídeos
  • Substâncias antibióticas usadas para tratamento de infecções exteriores do olho, como, por exemplo, neomicina, gentamicina e tobramicina.
  • Aminoácidos
  • Pequenos compostos de proteínas.
  • Ângulo da câmara anterior
  • Ângulo agudo entre a íris e a córnea; também designado por ângulo iridocorneal.
  • Antibióticos
  • Substâncias químicas que impedem ou inibem a proliferação de micro-organismos.
  • Anticorpos
  • Proteínas produzidas em reação a antígenos específicos e cuja função é neutralizar estes antígenos.
  • Anti-histamínicos
  • Grupo de fármacos usados para o tratamento de reações alérgicas do olho.
  • Antioxidantes
  • Substâncias que inibem a oxidação e, deste modo, protegem o corpo do efeito nocivo dos radicais livres; os antioxidantes podem prevenir a degenerescência macular, bem com o surgimento de outras doenças graves.
  • Astigmatismo
  • Focagem não pontual das imagens pelo sistema refrativo do olho em consequência de diferenças da curvatura da córnea, cristalino ou retina.
  • Atônico
  • Frouxo; falta ou deficiência de tônus ou força.
  • Autoimune
  • Diz respeito à reação imunológica ou inflamatória exagerada que ocorre num indivíduo contra tecidos dele mesmo.
  • B

  • Bactérias
  • Micro-organismos unicelulares que se multiplicam por divisão celular e cujas células são, tipicamente, envolvidas por uma membrana citoplástica.
  • Bactérias aeróbias
  • Bactérias que precisam de bastante oxigênio do ar para se desenvolverem.
  • Bactérias anaeróbias
  • Bactérias que precisam de um ambiente livre de oxigênio para se desenvolverem e multiplicarem.
  • Bastonetes
  • Fotorreceptores responsáveis pela visão na penumbra, mas não para a visão cromática; situam-se sobretudo na periferia da retina.
  • Blefarite
  • Inflamação das pálpebras.
  • Bomba lacrimal
  • Mecanismo de bombagem através do qual a córnea é oxigenada durante o uso de lentes de contato.
  • C

  • Camada de mucina da película lacrimal
  • Camada mais interior da película lacrimal, rica em proteínas e segregada pelas células calciformes.
  • Camada sebácea
  • Camada mais externa da película lacrimal, sendo segregada sobretudo pelas glândulas meibomianas; o sebo reduz a evaporação da porção de humor aquoso contido nas lágrimas.
  • Câmara anterior do olho
  • Espaço entre a córnea e íris, preenchido com humor aquoso.
  • Câmara posterior do olho
  • Área situada entre a íris e o cristalino, cheio com humor aquoso.
  • Campo visual
  • Área total que uma pessoa sem defeito da visão consegue perceber visualmente mantendo os olhos imóveis. Esta área pode ser medida mediante um perímetro.
  • Canal de Schlemm
  • Vaso semelhante às veias que se destina à drenagem de humor aquoso excedente; o humor aquoso flui da rede trabecular para o canal de Schlemm.
  • Canal lacrimonasal
  • Elemento tubiforme do aparelho de drenagem lacrimal, que une o saco lacrimal à parte inferior da cavidade nasal; conduz as lágrimas do olho para dentro do nariz.
  • Capsulotomia posterior
  • Intervenção na qual a abertura existente na área posterior da cápsula do cristalino é tratada por laser YAG, quando esta opacificou a seguir a uma cirurgia à catarata.
  • Catarata
  • Perda de transparência do cristalino do olho que interfere na visão; deve-se a uma alteração das fibras do cristalino, a qual faz com que a luz seja focada com menos nitidez e a visão fique turva; está muitas vezes associada à idade.
  • Cegueira para as cores
  • Incapacidade parcial ou completa em distinguir determinadas cores.
  • Ciprofloxacina
  • Antibiótico potente que é administrado sob a forma oral ou oftálmica; é usado para tratamento de infecções do olho, das vias respiratórias ou do trato urinário, bem como no tratamento de doenças inflamatórias pélvicas, cutâneas e dos tecidos moles e de doenças venéreas.
  • Cirurgia da retina
  • Operações a argon LASER ou convencionais, em que a retina é tratada.
  • Cirurgia de catarata
  • Remoção por via cirúrgica de um cristalino opacificado devido a uma catarata.
  • Cirurgia de refração
  • Intervenção cirúrgica na qual se fazem incisões na córnea para se alterar a forma desta; utilizada para o tratamento da miopia, do presbitismo e do astigmatismo.
  • Cirurgia por laser ou fotocoagulação por laser
  • Método pelo qual os feixes de luz intensa focada são dirigidos sobre um ponto minúsculo para cortar ou cauterizar tecidos sem lesar os tecidos saudáveis adjacentes; também utilizado para cauterizar vasos sanguíneos abertos, bem como para destruir novos vasos sanguíneos anormais que se formam no caso de doenças, tais como, por exemplo, a degenerescência macular e a retinopatia da diabetes mellitus.
  • Componentes sensoriais
  • Estruturas oculares pelas quais a luz é transformada em informação, que pode ser depois interpretada pelo cérebro; incluem, entre outros, a retina e o nervo óptico.
  • Cones
  • Fotorreceptores do neuroepitélio da Oftalmologia, responsáveis pela visão nítida e pela visão das cores; transmitem impulsos aos neurônios (células nervosas).
  • Conjuntiva
  • Membrana mucosa transparente que reveste a parte interna das pálpebras e que cobre a esclerótica (o branco do olho); constitui uma barreira contra infecções; a conjuntiva produz mucina e destina-se a espalhar e drenar o fluido lacrimal e a transportar os produtos residuais.
  • Conjuntiva palpebral
  • Membrana mucosa e transparente que reveste a parte interna das pálpebras para fora do olho Conjuntivite. Inflamação da conjuntiva; infecção do olho frequentemente causada por bactérias, podendo ser também provocada por vírus ou fungos.
  • Conjuntivite alérgica sazonal
  • Inflamação da conjuntiva que ocorre associada a uma reação alérgica a substâncias alergênicas, tais como, por exemplo, o pólen.
  • Conjuntivite vernal
  • Também designada por catarro vernal ou queratoconjuntivite vernal; inflamação recidiva da conjuntiva que é frequente em crianças durante o período quente.
  • Conservante
  • Produto para proteger as soluções da contaminação por micro-organismos (isto é, a solução fica estéril); também possui propriedades desinfetantes.
  • Contraindicações
  • Qualquer circunstância que torna desaconselhável a aplicação de um medicamento; são indicadas nos folhetos informativos.
  • Córnea
  • Porção transparente da túnica do globo ocular com “função de janela”; a córnea deixa entrar os raios luminosos no olho e ajuda a focá-los na retina.
  • Corpo ciliar
  • Estrutura vasculosa e muscular, responsável por regular a espessura da lente; segrega humor aquoso e apoia a drenagem do humor aquoso.
  • Corpo vítreo
  • O corpo vítreo é confinado à frente pelo cristalino e atrás pelo fundo do olho; contém o humor vítreo e é também designado por segmento posterior.
  • Coroideia
  • A porção traseira da úvea (túnica vasculosa do bulbo); um fino reticulado de vasos sanguíneos que separa a camada fibrosa e a camada sensorial uma da outra e que nutre todas as camadas teciduais do olho com 90 por cento das necessidades de sangue.
  • Corticosteroides
  • Hormônios naturais do corpo ou produzidos sinteticamente para o tratamento de uma grande variedade de quadros clínicos.
  • Cristalino
  • Estrutura transparente do olho que, através da adaptação da sua curvatura, regula a refração dos raios luminosos emitidos pelos objetos situados a distâncias variáveis do observador
  • Cristalino
  • Estrutura transparente e flexível, localizada atrás da íris; os diferentes graus de curvatura permitem focar os raios luminosos nas estruturas sensoriais do olho; o cristalino é a segunda mais importante superfície refrativa da luz que incide sobre a retina (a seguir à córnea).
  • D

  • Dacriocistite
  • Infecção vulgar do saco lacrimal.
  • Degeneração macular relacionado a idade (DMRI)
  • Doença em geral progressiva, relacionado a idade, à genética e a várias outras fatores como obesidade, tabagismo e sedentarismo. Destrói a mácula, provocando uma perda gradual da acuidade da visão central.
  • Depósitos de mucina
  • Mucina produzida pelas células calciformes da conjuntiva e e que pode formar depósitos nas lentes de contato com deficiência de limpeza.
  • Depósitos de proteína
  • Proteínas formadas por cadeias curtas ou longas de aminoácidos, que se acumulam na superfície das lentes de contato deficientemente higienizadas.
  • Desinfetante
  • Solução bactericida usada para descontaminar objetos, tais como, por exemplo, lentes de contato.
  • Descolamento da retina
  • Consiste na perda da aposição entre a retina e a coroideia.
  • Detergente enzimáticos
  • Produto para limpeza de todo o tipo de lentes de contato, especialmente destinado a remover os resíduos de proteína desnaturada.
  • Dioptria
  • Unidade de medição do poder refrativo dos sistemas ópticos, ou seja, o valor recíproco da distância focal medida em metros (D = 1/f).
  • Oftalmoscópio direto
  • Instrumento frequentemente utilizado para o exame oftalmológico, o qual permite uma observação monocular das câmaras oculares, do disco do nervo ocular e dos vasos sanguíneos da retina.
  • E

  • Edema
  • Inchaço causado por uma acumulação excessiva de líquido nos tecidos do corpo.
  • Endoftalmite
  • Inflamação das camadas teciduais internas do olho.
  • Endotélio da córnea
  • Camada interior de células, o designado tecido endotelial da córnea.
  • Epitélio da córnea
  • Camada exterior de células, o designado tecido epitelial da córnea.
  • Esclerite
  • Inflamação da esclerótica; doença grave que pode conduzir a uma perda duradoura da visão.
  • Esclerótica
  • Esclerótica Túnica albugínea do olho, também denominada por “esclera” ou “branco do olho”; protege e mantém a forma do globo ocular.
  • Escotoma
  • Significa literalmente “escuridão crescente”; manchas anormais de visão; deve-se a uma lesão do nervo óptico por isquemia, pressão intraocular excessivamente alta ou vários outros tipos de alterações.
  • Estabilidade
  • Termo usado para descrever a propriedade de um fármaco em manter-se inalterado ao fim de terminado período ou sob condições variáveis.
  • Estabilizador de células mastócitas
  • Preparado para tratamento de todos os tipos de conjuntivite alérgica.
  • Estéril
  • Estado caracterizado pela ausência de micro-organismos.
  • Estrabismo
  • Situação em que existe uma perda do paralelismo do movimento dos olhos.
  • Estroma da córnea
  • Estrutura intersticial constituída por tecido conjuntivo, responsável em 90 por cento pela espessura da córnea.
  • Exógeno
  • Produzido por causas externas.
  • Extração de catarata extracapsular
  • Remoção do conteúdo do cristalino mantendo-se a cápsula posterior.
  • F

  • Facoemulsificação
  • Liquidificação do cristalino; uma técnica sofisticada para extração extracapsular de cataratas; permite uma remoção das cataratas por meio de incisões muito mais estreitas; a intervenção é menos invasiva para o olho.
  • Fibras zonulares
  • Fibras delicadas pelas quais o cristalino está suspenso; a tensão da lente é regulada pelo músculo ciliar.
  • Fibrose
  • Formação excessiva de tecido conjuntivo, que pode surgir como resposta de recuperação exagerada a lesões, infecções ou inflamações.
  • Fotofobia
  • Aversão à luz devido a uma sensibilidade excessiva à luz.
  • Fotorreceptores
  • Células sensíveis à luz, que convertem a luz em impulsos elétricos; distinguem-se dois tipos diferentes: os bastonetes e os cones.
  • Fóvea central
  • Uma depressão no centro da mácula lútea (“mancha amarela”).
  • Fovéola
  • Uma depressão no centro da fóvea central; contém apenas cones retinianos e destina-se à visão exata de cores e detalhes (ex: letras).
  • Fungos
  • Micro-organismos maiores do que as bactérias e que possuem uma estrutura celular mais complexa; entre os fungos contam-se também os bolores e as leveduras.
  • G

  • Glândula lacrimal
  • Glândula relativamente grande, situada na porção superior lateral da cavidade do olho; reproduz fluido lacrimal em abundância em resposta a uma irritação ou a um efeito emocional.
  • Glândulas meibomianas
  • Glândulas palpebrais que segregam sebo, uma substância oleosa que faz parte das lágrimas e as protegem contra a evaporação.
  • Glaucoma
  • Doença que pode levar a perdas do campo visual devido à lesão do nervo óptico; na maior parte das vezes, um glaucoma deve-se a um aumento da pressão intraocular e/ou a uma irrigação sanguínea deficiente do olho.
  • Glaucoma agudo de ângulo fechado
  • Um tipo do glaucoma que ocorre quando o ângulo da câmara anterior situado entre a íris e a córnea se fecha subitamente, impedindo a drenagem do humor aquoso elevando a pressão intraocular rapidamente.
  • Glaucoma secundário
  • Tipo de glaucoma que ocorre muitas vezes associado a outras doenças dos olhos (por exemplo, uveíte, tumores intraoculares, cristalinos aumentados, etc).
  • Glaucoma crônico de ângulo fechado
  • Tipo do glaucoma de ângulo fechado que se caracteriza por um curso insidioso e que está associado a uma obstrução do sistema de drenagem do humor aquoso.
  • Glaucoma de ângulo aberto
  • Um tipo de glaucoma sem estreitamento do ângulo da câmara anterior.
  • Glaucoma de ângulo aberto congênito
  • Glaucoma infantil; um tipo raro do glaucoma nos recém-nascidos e nas crianças pequenas; deve-se a uma malformação congênita, ou seja, à ausência de uma diferenciação da rede trabecular no ângulo da câmara anterior; o fluxo do humor aquoso está limitado provocando um aumento da pressão intraocular; tipo caracterizado por um curso progressivo que, normalmente, atinge ambos os olhos e que pode conduzir à lesão do nervo óptico.
  • Glaucoma infantil
  • Glaucoma congênito.
  • Glaucoma primário de ângulo aberto
  • Um tipo de glaucoma que se caracteriza pelo aumento crescente da pressão intraocular e que conduz à perda insidiosa e progressiva da visão; os fatores de risco são idade avançada, diabetes e tendência familiar.
  • Gotas lubrificantes
  • Podem ser utilizadas para todos os tipos de lentes para lubrificar ou umidificar as lentes durante o uso, em especial quando o doente se encontra em ambientes secos.
  • I

  • Imunoglobulina E (IgE)
  • Uma imunoglobina que desempenha um papel nas reações alérgicas.
  • Índice de refração
  • Unidade de medição das propriedades refrativas das substâncias em relação à incidência da luz.
  • Infecção
  • A penetração e reprodução de micro-organismos nos tecidos corporais, provocando sinais e sintomas de doença, bem como uma reação do sistema imunitário.
  • Inflamação
  • Reação local e não específica a lesões dos tecidos devido a um trauma ou à invasão de substâncias alheias ao corpo (por exemplo, micróbios ou alérgenos).
  • Inflamação pós-operatória
  • Ocorre de forma branda devido ao processo de cicatrização e reparação dos tecidos de forma natural. Pode ser intensa quando existe infecção.
  • Interferon
  • Substância que desempenha um papel na reação não específica a infecções; oferece certa proteção contra vírus.
  • Íris
  • O disco frontal e pigmentado, situado entre as câmaras anterior e posterior do olho; constituída por fibras musculares lisas; os músculos contraem e dilatam constantemente o tamanho da pupila, controlando assim a quantidade de luz que passa através da pupila.
  • Isquemia
  • Fornecimento insuficiente de sangue devido a uma constrição ou obstrução de vasos sanguíneos.
  • L

  • Lagoftalmo
  • Condição em que é impossível o encerramento completo das pálpebras sobre o globo ocular.
  • Lágrima
  • Líquido segregado pelas glândulas lacrimais e acessórias, células caliciformes, glândulas de Meibom, Zeiss e Moll com função de limpar e lubrificar os olhos.
  • Lágrimas artificiais
  • Preparado destinado a compensar a produção inadequada de lágrimas.
  • Lamela
  • Delicada lâmina de tecido. No procedimento de LASIK é realizado um corte em lamela do tecido corneano.
  • Laser
  • Dispositivo que produz um feixe de luz altamente concentrada; a palavra “laser” é um acrônimo da expressão inglesa “light amplyfication by stimulated emmission of radiation” (amplificação de luz por emissão estimulada de radiação).
  • Laser de Argon
  • Tipo de laser usado para o tratamento da retina e glaucoma principalmente.
  • Laser Excimer
  • Tipo de laser utilizado no âmbito da queratectomia fotorrefrativa (PRK) para a remoção da camada exterior da córnea.
  • Laser YAG
  • Tipo de laser usado na microcirurgia para cortar membranas.
  • LASIK
  • “Laser in situ keratomileusis”; método cirúrgico utilizado para o tratamento da miopia, astigmatismo e hipermetropia, fazendo uma lamela na córnea e aplicando Excimer Laser.
  • Lente bifocal
  • Lente de óculos com dois focos.
  • Lente tórica
  • Lente que possui dois raios de curvaturas diferentes, perpendiculares entre si; são utilizadas para a correção do astigmatismo.
  • Lentes de contato convencionais
  • Lentes de contato receitadas para o uso diário, ocasional ou flexível que requerem substituição anual.
  • Lentes de contato descartáveis
  • Lentes de substituição frequente que pode ser diária, semanal, quinzenal etc.
  • Lentes de contato RGP
  • “RGP” é abreviatura da expressão inglesa “rigid gas permeable” e significa que se tratam de lentes de contato rígidas permeáveis ao gás. As lentes são feitas a partir de um material sintético transparente e resistente à quebra, o qual pode ser facilmente adaptado à forma da córnea do doente; as lentes são mais permeáveis ao oxigênio do que as lentes rígidas inicialmente utilizadas, pelo que proporcionam maior segurança ao paciente.
  • Lentes diárias
  • Lentes para uso por um número de horas limitado ao dia.
  • Lente intraocular
  • Lente artificial inserida no olho para substituir o cristalino natural.
  • Limbo da córnea
  • O sulco pouco profundo, situado na passagem da córnea para a esclerótica; os vasos sanguíneos do limbo da córnea destinam-se à alimentação da córnea e à drenagem dos subprodutos do metabolismo do olho.
  • Luteína
  • Antioxidante presente no corpo inteiro e, de forma concentrada, também na mácula; supõe-se que a luteína contribui para proteger o olho contra lesões devido a radicais livres originados por raios solares nocivos.
  • Luz ultravioleta
  • Luz além do espectro visível, de elevada energia e que possui comprimentos de onda curtos.
  • M

  • Mancha cega
  • Área correspondente ao nervo óptico, onde não existe fotorreceptores de luz.
  • Membrana de Bowman
  • Lâmina limitante anterior da córnea, acelular e de fibras delicadas, situada entre o epitélio e a substância própria da córnea.
  • Membrana de Descemet
  • Lâmina limitante do endotélio da córnea; uma das cinco camadas teciduais da córnea.
  • Medicamentos descongestionantes
  • Substâncias que contraem os capilares dilatados da conjuntiva para eliminar uma congestão.
  • Metilcelulose de hidroxipropil (HPMC)
  • Molécula complexa de hidrato de carboneto que aumenta a viscosidade de soluções aquosas.
  • Microscópio de lâmpada de fenda
  • Instrumento diagnóstico de vários graus de ampliação, utilizado para observar a córnea, a película lacrimal ou lentes de contato, com a característica peculiar de poder observar em cortes ópticos (como se fossem lâminas).
  • Midríase
  • Dilatação da pupila.
  • Miopia
  • Vista ou visão curta; deve-se ao cumprimento excessivo do globo ocular ou a um cristalino incapaz de se aplanar suficientemente ou a uma curvatura anormal da córnea.
  • Mióticos
  • Agentes que fazem contrair a pupila.
  • Mucina
  • Conceito genérico para designar as proteínas que atribuem ao muco a consistência espessa e viscosa típica.
  • Músculos exteriores do olho
  • Os seis músculos que movimentam o globo ocular.
  • N

  • Nervo ótico
  • O nervo que liga o olho ao cérebro; transmite os impulsos elétricos da retina.
  • Neutralização
  • Utilização de sistemas de desinfecção à base de peróxido de hidrogênio; aceleração de uma reação química em curso, na qual o peróxido de hidrogênio é decomposto por catálise ou por reação química.
  • O

  • Olho seco
  • Queratoconjuntivite seca; combinação de várias doenças provocadas por uma produção insuficiente de lágrimas necessárias à lubrificação da córnea e da conjuntiva.
  • Oftalmoscópio
  • Instrumento utilizado para examinar várias estruturas do olho; pode ser aplicado para examinar lesões devidas ao glaucoma.
  • Oftalmoscópio indireto
  • Um instrumento que combina uma lente segurada na mão com um binocular fixado na cabeça; permite uma visão tridimensional e ampla da retina.
  • Opacificação da córnea
  • Opacificação degenerativa da córnea.
  • Órbita ocular
  • Depressão óssea do crânio que aloja os olhos.
  • P

  • Papila do nervo óptico
  • Ponto de convergência das fibras ganglionares que formam o nervo óptico e é vista como uma estrutura arredondada e bem delimitada, por onde chegam também os vasos sanguíneos.
  • Película lacrimal
  • Filme que envolve a córnea e a conjuntiva, formado por substâncias lubrificantes; é segregado pelas glândulas lacrimais e contém sais e proteínas; destina-se à umidificarão e à proteção da córnea, formando a sua superfície ótica lisa.
  • Perimetria
  • Método diagnóstico para determinar os limites da visão periférica de um doente; tendo sido inicialmente executado manualmente, o desenvolvimento de técnicas computadorizadas automáticas permite hoje em dia obter resultados reproduzíveis de alta qualidade.
  • Perimetria cinética
  • Mapeamento do campo visual por computador para avaliar a extensão da visão periférica; um sinal de prova (preto ou azul) é deslocado sobre um fundo branco ou amarelo, registrando ao mesmo tempo os dados referentes aos pontos que os doentes não conseguem ver.
  • Poder umidificador
  • Poder lubrificante; atividade superficial; facilidade relativa com que um líquido consegue espalhar-se sobre uma lente de contato.
  • Polimetilmetacrilato (PMMA)
  • Tipo de material plástico utilizado para as lentes de contato rígidas.
  • Poliquarténio-1
  • Conservante utilizado em certos medicamentos oftálmicos; patenteado sob a nominação POLYQUAD®.
  • Polivinilpirrolidona (PVP)
  • Componente presente nas lentes de contato hidrófilas, utilizado para melhorar a absorção de água.
  • Pontos lacrimais
  • Orifícios situados nos cantos interiores das pálpebras superior e inferior e através dos quais as lágrimas entram no aparelho de drenagem lacrimal do olho.
  • Presbiopia
  • Vista cansada; enfraquecimento do poder de acomodação para a visão de perto devida a uma perda da elasticidade do cristalino. Torna-se mais frequente após os 40 anos.
  • Pressão intraocular
  • A pressão ocular gerada pelos líquidos contidos no interior do olho.
  • Produtos para manutenção de lentes de contato destinados à limpeza diária
  • Produtos de manutenção compostos, normalmente, de substâncias que atuam na superfície, que removem a sujidade, o muco e outras partículas que se acumulam nas lentes durante o seu uso.
  • Produtos para manutenção de lentes de contato destinados à remoção de proteínas
  • Produtos de limpeza que removem os depósitos mais pertinentes de proteínas sendo utilizados a critério médico.
  • Prostaglandinas sintéticas
  • Tipo de fármacos derivados de hormônios produzidos naturalmente no corpo e utilizadas para baixar a pressão intraocular no caso de glaucomas.
  • Provas de Schirmer
  • Grupo de provas utilizadas para medir a produção de lágrimas; inclui a prova de Schirmer I (que mede a secreção basal no olho não anestesiado), a prova da secreção basal (que mede a secreção basal no olho anestesiado), bem como a prova de Schirmer II (destinado à medição da função reflexa das glândulas lacrimais).
  • Pupila
  • A abertura circular no centro da íris; permite a chegada de luz à retina do olho.
  • R

  • Reação inflamatória aguda
  • A resposta direta do corpo a lesões dos tecidos, caracterizada por vasodilatação, permeabilidade acentuada dos capilares sanguíneos, bem como uma maior passagem de células, líquidos e substâncias químicas para os tecidos afetados.
  • Rede trabecular
  • Um fino retículo de fibras de tecido conjuntivo no olho, situado entre a câmara anterior do olho e o canal de Schlemm; tecido através do qual o humor aquoso difunde antes de fluir para fora do olho.
  • Reflexão
  • Envio de volta dos raios luminosos que incidem sobre uma superfície.
  • Refração
  • O desvio da luz quando passa de uma substância transparente para outra substância transparente diferente.
  • Resistência a antibióticos
  • Resistência de certas bactérias a medicamentos antibióticos destinados ao tratamento de infecções provocadas por bactérias; se a concentração medicamentosa necessária à supressão ou destruição das bactérias for tão elevada que pode tornar-se perigosa para o doente, as bactérias são consideradas resistentes.
  • Resposta imunitária
  • Uma reação defensiva do sistema imunitário a substâncias invasoras que são reconhecidas pelo organismo como estranhas.
  • Retina
  • Membrana mais interior do globo ocular, que contém os fotorreceptores; converte a luz em impulsos elétricos os quais são depois analisados pelo cérebro.
  • Retinite CMV
  • Uma infecção ocular grave, causada pelo citomegalovírus (CMV), frequente em pessoas com sistema imunitário debilitado; entre os sintomas contam “mosquitos voadores”, manchas cegas, visão turva e perda da visão.
  • Retinite pigmentar
  • Degenerescência caracterizada pela perda progressiva da visão periférica e que, habitualmente, começa com o sintoma de cegueira noturna.
  • Retinopatia diabética
  • Hemorragias pontuais na retina que ocorrem num estádio avançado de uma diabetes e que, devida à lesão da mácula ou da retina, podem afetar gravemente a visão.
  • S

  • Saco lacrimal
  • Componente do aparelho de drenagem lacrimal, as lágrimas se acumulam antes de serem drenadas para o canal lacrimonasal.
  • Secreção lacrimal reflexa
  • Produção de lágrimas em grande quantidade pelas glândulas lacrimais como resposta a um estímulo específico, tal como um corpo estranho no olho, ou como reação a emoções intensivas.
  • Segmento anterior
  • Aquela porção do olho que compreende a córnea, a íris, o cristalino, o corpo ciliar e a parte anterior da esclerótica, bem como as câmaras anterior e posterior; contém humor aquoso.
  • Segmento posterior
  • O segmento posterior é confinado à frente pelo cristalino e atrás pelo fundo do olho; contém o humor vítreo e é também designado por humor vítreo.
  • Sinéquia
  • Aderência fibrosa entre duas camadas teciduais que normalmente estão separadas uma da outra; uma aderência da íris ao cristalino constitui uma complicação que pode ocorrer associada a uma inflamação dos olhos.
  • Sistemas de substituição
  • Lentes de contato previstas para diferentes períodos de uso e que devem ser substituídas decorrido o respectivo período; distinguem-se, conforme o ritmo de uso e substituição, os seguintes tipos de lentes: lentes diárias, lentes semanais, lentes mensais, lentes anuais.
  • Solução de enxaguamento
  • Solução salina estéril ou outros produtos utilizados para remover os líquidos de limpeza e as bactérias das lentes de contato antes de estas serem colocadas.
  • Soluções multifunções
  • Produtos que podem ser usados para quase todas as fases da manutenção de lentes de contato.
  • T

  • Tarso
  • Placa fibrosa flexível na pálpebra superior e inferior, com a forma de meia-lua.
  • Tempo de atuação
  • O tempo que decorre entre a administração de um medicamento e a atuação do mesmo no organismo.
  • Terçol
  • Abscesso vermelho, mole e inchado, localizado no bordo da pálpebra; também designado por hordéolo.
  • Teste do campo visual
  • Técnica utilizada para detectar limitações do campo visual; dá informações sobre a presença de um glaucoma, doenças neurológicas ou outras patologias.
  • Tonômetro
  • Instrumento diagnóstico utilizado para medir a pressão intraocular.
  • Topógrafo da córnea
  • Instrumento diagnóstico que faz uma imagem da superfície da córnea mediante uma videoqueratografia assistida por computador; importante na adaptação de lentes de contato, no cálculo de lentes intraoculares, nas cirurgias refrativas, nas análises do estado refracional do olho, entre outras possibilidades.
  • Trabeculectomia
  • Operação cirúrgica executada para remover uma parte da rede trabecular no tratamento cirúrgico do glaucoma.
  • Trabeculoplastia por laser de árgon (ALT)
  • Intervenção cirúrgica na qual o laser de árgon é usado para se aplicar queimaduras não penetrantes na superfície da rede trabecular, de modo a melhorar a drenagem do humor aquoso; aplicada no tratamento do glaucoma.
  • Tracoma
  • Doença infecciosa dos olhos causada por clamídias. Está relacionada à má higiene e ainda é muito prevalente (comum) em alguns lugares aonde a rede de água e esgoto ainda não chegou.
  • Trato uveal
  • Uma camada do olho que contém muitos vasos sanguíneos e que também é designada por úvea.
  • Túnica externa do olho
  • O envoltório fibroso e conjuntivo do globo ocular; compreende a esclerótica, a córnea e a conjuntiva; destina-se a manter a forma do olho.
  • Túnica vasculosa do bulbo
  • Úvea ou trato uveal; zona no olho que abrange a coroideia, a íris e o corpo ciliar; a túnica vasculosa do bulbo está estreitamente ligada ao cristalino, à rede trabecular e ao canal de Schlemm.
  • U

  • Úvea
  • Túnica vasculosa do bulbo; uma camada do olho que contém muitos vasos sanguíneos; também designada por trato uveal.
  • Uveíte
  • Inflamação que pode atingir qualquer parte do trato uveal, sendo então denominada irite, ciclite, iridociclite, coroidite, bem como, às vezes, ritinocoroidite e retinite.
  • V

  • Vírus
  • Os menores micro-organismos conhecidos de potencial patogênico; a replicação viral depende do hospedeiro.
  • Visão em túnel
  • Escotoma anular; limitação do campo visual a um campo central reduzido devido à perda da visão periférica.
  • Viscosidade
  • Propriedade dos líquidos que descreve a sua espessura e resistência ao fluxo.
  • Vitrectomia
  • Cirurgia para retirada da hemorragia intraocular e tratamento do descolamento de retina.