Pages Navigation Menu

Center Laser

Blog

SBP atualiza recomendações sobre saúde de crianças e adolescentes na era digital

Posted by on fev 27, 2020 in Blog | 0 comments

SBP atualiza recomendações sobre saúde de crianças e adolescentes na era digital

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou na terça-feira dia 11/02, o Manual de Orientação #MenosTelas #MaisSaúde com o objetivo de promover a saúde e o bem-estar de crianças e adolescentes em contato constante com tecnologias digitais, como smartphones, computadores e tablets. O documento, elaborado pelo Grupo de Trabalho sobre Saúde na Era Digital da SBP, complementa e atualiza as recomendações lançadas pela entidade em 2016 sobre o tema. Na avaliação da presidente da SBP, dra. Luciana Rodrigues Silva, diversas pesquisas têm demonstrado a urgência do tema para a sociedade e a amplitude dos riscos envolvidos, especialmente para o desenvolvimento de transtornos de saúde mental e problemas comportamentais, segundo os atuais critérios do CID-11 sobre dependência digital. De acordo com a publicação, a multiplicação do acesso aos vários aplicativos, redes sociais e jogos online direcionados à população entre zero e 19 anos requer cada vez mais a atenção de todos que têm como responsabilidade lutar em defesa dos direitos da infância e adolescência. Dados da pesquisa TIC Kiks Online – Brasil (2018), realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), revelam que 86% das crianças e adolescentes brasileiros, entre 9 e 17 anos, estão conectados, o que corresponde a 24,3 milhões de usuários da internet. Cerca de 20% dos participantes do levantamento relataram contato com conteúdos sensíveis sobre alimentação ou sono; 16% com formas de machucar a si mesmo; 14% com fontes que informam sobre modos de cometer suicídio; 11% com experiências com o uso de drogas. Além disso, cerca de 26% foram tratados de forma ofensiva (discriminação ou cyberbullying); e 16% relataram acesso às imagens ou vídeos de conteúdo sexual. Outros 25% assumiram não conseguir controlar o tempo de uso, mesmo tentando passar menos tempo na internet. Segundo o documento, as novas mídias preenchem vácuos ócio, tédio, necessidade de entretenimento, abandono afetivo ou mesmo pais ‘ultraocupados’, muitas vezes, com seus próprios celulares. As consequências, tanto do acesso a conteúdo inadequado quanto do uso excessivo, têm sido constatadas nos relatos de acidentes, abusos de privacidade, distúrbios de aprendizado, baixo desempenho escolar, atrasos no desenvolvimento, entre outros.   Entre as principais orientações atualizadas pelo novo Manual de Orientação da SBP, destacam-se: Evitar a exposição de crianças menores de dois anos às telas, mesmo que passivamente; Limitar o tempo de telas ao máximo de uma hora por dia, sempre com supervisão para crianças com idades entre dois e cinco anos; Limitar o tempo de telas ao máximo de uma ou duas horas por dia, sempre com supervisão para crianças com idades entre seis e 10 anos; Limitar o tempo de telas e jogos de videogames a duas ou três horas por dia, sempre com supervisão; nunca “virar a noite” jogando para adolescentes com idades entre 11 e 18 anos; Para todas as idades: nada de telas durante as refeições e desconectar uma a duas horas antes de dormir; Oferecer como alternativas: atividades esportivas, exercícios ao ar livre ou em contato direto com a natureza, sempre com supervisão responsável; Criar regras saudáveis para o uso de equipamentos e aplicativos digitais, além das regras de segurança, senhas e filtros apropriados para toda família, incluindo momentos de desconexão e mais convivência familiar; Encontros com desconhecidos online ou off-line devem ser evitados; saber com quem e onde seu filho está, e o que está...

Botão Leia Mais

Como perceber se as crianças estão com dificuldade para enxergar?

Posted by on fev 14, 2020 in Blog | 0 comments

Como perceber se as crianças estão com dificuldade para enxergar?

A volta ás aulas é um momento que pede atenção dos pais e professores, principalmente em relação à saúde ocular dos pequenos. Segundo dados do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), cerca de 20% das crianças em idade escolar apresentam algum tipo de problema visual. Os erros de refração estão entre os mais frequentes e podem comprometer atividades do dia a dia e o aprendizado. Entre eles, a miopia (dificuldade para enxergar objetos que estão longe), a hipermetropia (incapacidade de visualizar claramente objetos próximos), e o astigmatismo (objetos desfocados tanto perto como longe). Mas afinal, quais indícios apontam que algo está errado? Em casa: Dificuldade em reconhecer objetos comuns e pessoas conhecidas Falta de interesse por atividades normalmente cativantes Tropeçar ou cair com frequência. Na escola: “Apertar” os olhos para enxergar Levantar de seu lugar e se aproximar da lousa para ler o que está escrito Desistir de prestar atenção pela dificuldade de leitura da lousa e apostilas/cadernos Dores de cabeça no fim do dia de estudos pelo esforço para tentar ver melhor Os problemas de refração devem ser corrigidos sempre que limitarem a capacidade visual das crianças, pois podem acarretar um desenvolvimento visual incompleto, comprometer o aprendizado, deixar a criança insegura e mais suscetível a se ferir em quedas ou acidentes. Tão logo seja notada a deficiência, é fundamental agendar uma consulta com um oftalmologista para uma avaliação, exames e a prescrição dos óculos.   Fonte: Hospital...

Botão Leia Mais

Coronavírus também pode ser transmitido pelos olhos

Posted by on fev 6, 2020 in Blog | 0 comments

Coronavírus também pode ser transmitido pelos olhos

Especialistas acreditam que é “absolutamente possível” que o coronavírus seja transmitido pelos olhos. O contágio ocorreria quando o paciente encosta as mãos infectadas junto ao globo ocular. O médico chinês Wang Guangfa, inclusive teme ter contraído a enfermidade por não estar utilizando óculos protetores durante o trabalho.  As informações são do jornal britânico Daily Mail. Especialistas em contágio da infecção ouvidos pelo tabloide ainda ressaltam que o vírus pode se propagar por meio de tosses e espirros. Desse modo, o vírus percorreria o corpo até chegar aos olhos. “Não é incomum que gripes e outras viroses sejam transmitidas assim. É possível, inclusive, contrair infecções respiratórias pelos olhos”, diz Paul Kellam, professor de genômica dos vírus no Imperial College London. Kellam ainda ressalta que as máscaras que protegem a boca e o nariz não seriam suficientes, por deixarem os olhos descobertos. Michael Head, pesquisador em saúde global na universidade britânica de Southampton, concorda com a análise de Kellam . “A transmissão pode potencialmente ocorrer pelo contato da mão com os olhos, o que facilita a transmissão de uma pessoa para a outra”, afirmou. “Pense como se fosse uma gripe ou resfriado comum, tocar o nariz, a boca, ou os olhos é uma forma simples de contágio. Em toda a China já foram confirmados pelo menos 2 744 casos de infeção pelo coronavírus. Metade dos registros ocorreu na província de Hubei, cuja a capital é Wuhan — onde a enfermidade teria começado a se propagar. Na China, 81 pessoas já morreram em decorrência da infecção.   Fonte:...

Botão Leia Mais

O que é Neurite óptica?

Posted by on jan 23, 2020 in Blog | 0 comments

O que é Neurite óptica?

A neurite óptica, também conhecida como neurite retrobulbar, é a inflamação do nervo óptico que impede a transmissão da informação do olho para o cérebro.   Isto acontece porque o nervo perde a bainha de mielina, uma camada que reveste os nervos e é responsável pela transmissão dos impulsos nervosos.   Esta doença é mais comum em adultos de 20 a 45 anos, e provoca perda parcial, ou às vezes total, da visão, podendo também causar dor ocular e alteração na identificação ou percepção das cores.    A neurite óptica surge, principalmente, como uma manifestação da esclerose múltipla, mas também pode ser provocada por uma infecção cerebral, um tumor ou por intoxicação por metais pesados, como chumbo, por exemplo.   Geralmente afeta apenas um olho, apesar de também poder afetar ambos os olhos. A recuperação acontece espontaneamente após algumas semanas, no entanto, o médico também poderá utilizar corticoides para ajudar a acelerar a recuperação, em alguns casos. Os sintomas da neurite óptica são perda de visão, dor ocular e perda da capacidade de distinguir as cores. A perda da visão costuma ser temporária, no entanto, podem ainda permanecer sequelas como dificuldades para identificar cores ou ter uma visão pouco nítida. O diagnóstico de neurite óptica é feito pelo oftalmologista, que poderá realizar exames que avaliam a visão e a condição dos olhos como campimetria visual, potencial evocado visual, reflexos pupilares ou avaliação do fundo do olho, por exemplo. Além disso, poderá ser solicitado um exame de ressonância magnética cerebral, que ajuda a identificar alterações cerebrais como as provocadas pela esclerose múltipla ou um tumor cerebral. A neurite óptica costuma surgir devido à esclerose múltipla, infecções cerebrais, como meningite ou encefalite viral, provocada por vírus como varicela ou herpes, tumor cerebral, doenças autoimunes, doença de graves, intoxicação por medicamentos ou por metais pesados. No entanto, em muitos casos, a causa da neurite óptica não é detectada, sendo chamada de neurite óptica idiopática. Em muitos casos, a neurite óptica tem uma remissão espontânea, e os sinais e sintomas melhoram sem a necessidade de um tratamento específico Ainda assim, é sempre importante o acompanhamento com o oftalmologista e neurologista, que podem avaliar a necessidade de uso de medicamentos para diminuir a inflamação do nervo, ou a realização de uma cirurgia para descomprimir o nervo óptico.   Fonte: Tua...

Botão Leia Mais

Problemas de saúde que se manifestam pelos olhos

Posted by on jan 14, 2020 in Blog | 0 comments

Problemas de saúde que se manifestam pelos olhos

Olhos vermelhos, visão embaçada, desconforto, nem sempre esses sintomas estão relacionadas a problemas nos olhos. Muitas vezes os olhos também ajudam a identificar sinais de que há algo de errado no organismo. Veja alguns problemas de saúde que podem revelar sua presença no corpo através dos olhos: Diabetes Os globos oculares sofrem quando a taxa de açúcar no sangue permanece elevada, em especial quando descontrolada. Seus portadores chegam a ter uma probabilidade 25 vezes maior de perder a capacidade de enxergar. O grande vilão é a retinopatia diabética, que acomete acima de 75% das pessoas que convivem com a glicemia elevada há mais de 20 anos. Caracterizada por danos nos vasos sanguíneos que irrigam a retina, ela começa com pontinhos pretos na visão e pode terminar em cegueira. O diabetes também aumenta em 60% o risco de catarata, que embaça a visão e para evitar esses estragos, o indivíduo deve controlar a glicose e se consultar com profissionais regularmente.   Toxoplasmose A invasão do parasita Toxoplasma gondii, encontrado nas fezes de gatos ou em alimentos mal higienizados pode causar febre, cansaço, coriza, caroços no pescoço e sintomas nos olhos como: dor, vermelhidão, aparecimento de pontos flutuantes no campo visual e aversão à claridade. Essas consequências surgem em decorrência de uma inflamação na retina que, em situações avançadas, provoca uma cicatriz capaz de cegar. Daí por que é fundamental procurar o médico ao primeiro sinal suspeito.   Câncer Há tumores que surgem nos olhos, como o retinoblastoma, mais presente na infância. Ele atinge cerca de 400 crianças por ano no Brasil e acarreta um reflexo branco na pupila que é observado ao irradiar uma luz artificial no globo ocular. O diagnóstico precoce catapulta as chances de cura e preservação da visão e o teste do olhinho auxilia nesse sentido. O câncer de hipófise ao crescer, espreme o nervo óptico responsável por levar as informações visuais para o cérebro. E há ainda casos em que um tumor aparece em um local diferente, mas espalha-se para os olhos.   Doenças sexualmente transmissíveis A queda de imunidade causada pela aids faz com que citomegalovírus e herpes, os olhos causando sintomas como: Dor, dificuldade pra enxergar e vermelhidão. O déficit imune abre as portas para o sarcoma de Kaposi, um câncer que às vezes se instala no órgão da visão. Mas com tratamento adequado, tais consequências são raras hoje em dia. A bactéria da sífilis, por sua vez, é capaz de cair na circulação e desembarcar nos olhos podendo causar episódios de cegueira causada pela infecção.   Fonte: Tua...

Botão Leia Mais

Possíveis causas da visão turva

Posted by on dez 11, 2019 in Blog, Featured | 0 comments

Possíveis causas da visão turva

A visão turva ou embaçada é um sintoma relativamente comum, especialmente em pessoas que têm algum problema de visão como miopia ou hipermetropia. Nesses casos, a visão turva geralmente indica que pode ser necessário corrigir o grau dos óculos. No entanto, quando ela surge de repente, pode ser um primeiro sinal que está surgindo um problema de visão ou um sintoma de outros problemas mais graves como conjuntivite, cataratas ou até diabetes. Algumas possíveis causas da visão turva são: Miopia ou hipermetropia. São os dois dos problemas oculares mais comuns. A miopia acontece quando a pessoa não consegue enxergar corretamente de longe, e a hipermetropia acontece quando é difícil enxergar de perto. Associados à visão embaçada, também surgem outros sintomas como dor de cabeça constante, cansaço e necessidade de semicerrar os olhos frequentemente. É preciso consultar um oftalmologista para fazer um exame de visão e entender qual o problema, iniciando o tratamento, que normalmente inclui o uso de óculos de grau, lentes de contato ou cirurgia. Presbiopia A presbiopia é outro problema frequente, especialmente em pessoas com mais de 40 anos. Ele é caracterizando pela dificuldade para focar objetos ou textos que estão perto. Normalmente, pessoas com este problema precisam segurar revistas e livros longe dos olhos para conseguir focar bem as letras. A presbiopia pode ser confirmada por um oftalmologista e normalmente é corrigida com o uso de óculos de grau para ler. Conjuntivite Esta é uma infecção relativamente comum do olho causada pelo vírus da gripe, bactérias ou fungos, que pode ser passada facilmente de uma pessoa para a outra. Outros sintomas da conjuntivite incluem vermelhidão nos olhos, coceira, sensação de areia no olho ou presença de remelas, por exemplo. É necessário identificar se a infecção está sendo causada por bactérias, pois pode ser necessário fazer o uso de um colírio ou pomada antibiótica. Diabetes A visão embaçada também pode ser uma complicação da diabetes chamada de retinopatia, que acontece devido à degradação da retina, dos vasos sanguíneos e dos nervos. Isso geralmente só acontece em pessoas que não fazem o tratamento adequado da doença e, por isso, os níveis de açúcar estão constantemente elevados no sangue. Caso a diabetes se mantenha descontrolada pode até haver o risco de cegueira. Quem é diagnosticado com diabetes, deve aderir uma alimentação adequada, evitando alimentos industrializados e açucarados, assim como tomar adequadamente a medicação indicada pelo médico. Pressão alta Embora seja menos frequente, a pressão alta também pode resultar em visão embaçada. Isso acontece porque assim como acontece em casos de AVC ou infarto, a pressão alta também pode levar ao entupimento de vasos do olho, afetando a visão. Geralmente, este problema não causa qualquer tipo de dor, mas é comum que a pessoa acorde com a visão embaçada, especialmente em um olho apenas. Caso exista uma suspeita de que a visão embaçada está sendo causada pela pressão alta deve-se ir ao hospital ou consultar um clínico geral. Muitas vezes, este problema pode ser tratado com o uso adequado de medicamentos. Catarata ou glaucoma A catarata e o glaucoma são problemas de visão muito relacionados com a idade e que surgem lentamente ao longo do tempo. A catarata pode ser mais fácil de identificar, pois vai causando o surgimento de uma película esbranquiçada no olho. Já o glaucoma, geralmente é acompanhado de outros sintomas como dor intensa no olho ou perda...

Botão Leia Mais

O que é e como prevenir olhos secos

Posted by on nov 12, 2019 in Blog | 0 comments

O que é e como prevenir olhos secos

Os olhos costumam ficar secos quando nossos não estão sendo lubrificados o suficiente, esta condição pode causar desconfortos e até mesmo problemas de visão. Já a Síndrome do Olho Seco, ou Síndrome da Disfunção Lacrimal, ocorre quando existe a falta de produção de lagrima ou quando a mesma está alterada em algum de seus componentes. Os olhos precisam das lágrimas para estarem constantemente hidratados, assim suas estruturas podem trabalhar de forma adequada e até mesmo impedir o atrito entre a córnea e a pálpebra. A lágrima é essencial para e lubrificação, nutrição e proteção das estruturas oculares externas. Quando alterada em quantidade ou qualidade, essas estruturas deixam de funcionar corretamente ou sofrem determinadas consequências como: * Ardor nos olhos; * Coceira; * Irritação; * Olhos vermelhos; * Visão turva; * Sensação de corpo estranho ou areia nos olhos; * Desconforto quando se lê, vê televisão ou trabalha em frente à tela do computador por muito tempo.   Os olhos secos normalmente estão relacionados a alguns fatores como, por exemplo: * Produção deficiente de lágrimas; * Doenças associadas (blefarite, meibomite, doenças conjuntivais); * Fatores ambientais; * Carência de vitamina A; * Doenças da tireoide;   Aqui vão algumas dicas para você prevenir o ressecamento dos olhos: Descanse os olhos com frequência O uso de celulares, tablets e computadores causa uma tensão visual constante e esse esforço visual faz com que a pessoa pisque menos do que deveria, prejudicando a lubrificação ocular e favorecendo a evaporação das lágrimas com mais rapidez. Evite ficar muitas horas seguidas em frente às telas. No caso do trabalho com uso do computador o recomendado é que a cada 50 minutos seja feito um pequeno intervalo redirecionando o olhar para um ponto distante, para relaxar a musculatura intrínseca do olho.   Não se esqueça de piscar Piscar tem como finalidade o espalhamento da lágrima sobre a superfície ocular, determinando sua renovação e proteção. Devemos nos certificar de que estamos piscando adequadamente, pois o piscar deve ser respeitado tanto para pessoas que tem problemas oculares como para as pessoas que usam a leitura para trabalho ou lazer no computador.   Hidrate-se A ingestão de líquidos, principalmente de água, é muito importante, pois quando você passa muito tempo sem ingerir água, seus olhos tendem a ficar mais secos, ainda que você não sinta tão intensamente. Uma hidratação adequada ajuda a garantir a lubrificação dos olhos por meio das lágrimas.   Evite ambientes climatizados Ambientes climatizados com ar condicionado estão entre os principais irritantes oculares. No ambiente de trabalho, por exemplo, o ideal é se expor minimamente ao ar condicionado na medida do possível. Evite também o ar condicionado do carro, fazendo um uso moderado do aparelho.   Tome cuidado com a poluição A fumaça do cigarro e a poluição atmosférica contêm partículas irritantes que desestabilizam o filme lacrimal, comprometendo a lubrificação. Mantenha distância do cigarro e busque alternativas para driblar os danos causados pela poluição utilizando colírios e lubrificantes oculares.   Adicione ômega 3 à dieta O ômega 3 tem um efeito estimulador da produção gordurosa lacrimal, melhorando a qualidade da lágrima. Esse é um ácido graxo essencial que o organismo não produz e é incorporado na secreção de algumas glândulas lacrimais na pálpebra, formando uma camada de gordura em torno do olho para evitar que a lágrima evapore.  ...

Botão Leia Mais

O que é a pressão alta nos olhos e quais são os sintomas.

Posted by on out 31, 2019 in Blog | 0 comments

O que é a pressão alta nos olhos e quais são os sintomas.

A pressão alta nos olhos é uma doença que causa diminuição progressiva da visão, isto acontece devido à morte das células do nervo ótico, ela acontece quando a pressão no interior do olho é superior a 21 mmHg (valor normal) e a doença pode até mesmo causar cegueira se não for tratada desde inicio, quando surgem os sintomas iniciais. Um dos problemas mais comuns que causa este tipo de alteração é o glaucoma, no qual a pressão do olho pode chegar perto dos 70 mmHg, sendo geralmente controlado com o uso de colírios receitados pelo oftalmologista. A pressão alta nos olhos surge quando existe um desequilíbrio entre a produção de líquido ocular e sua drenagem, o que leva a um acumulo de líquido dentro do olho, que acaba aumentando a pressão ocular.   Alguns dos principais sintomas que podem indicar pressão alta nos olhos incluem: Dor intensa nos olhos e ao redor dos olhos; Dor de cabeça; Vermelhidão no olho; Problemas de visão; Dificuldade para enxergar no escuro; Náusea e vômito; Aumento da pupila, ou do tamanho dos olhos; Visão turva e embaçada; Observação de arcos em volta das luzes; Diminuição da visão periférica.   Alguns dos sintomas gerais podem indicar a presença de glaucoma, contudo os sintomas diferem um pouco dependendo do tipo de glaucoma presente e os tipos mais comuns raramente causam sintomas. Na presença de alguns destes sintomas, é recomendado consultar um oftalmologista logo que possível, para que o médico possa diagnosticar o problema. Geralmente, o diagnóstico do Glaucoma pode ser feito através de um Exame Oftalmológico completo realizado pelo médico, que irá incluir uma Tonometria, exame que permite medir a pressão dentro do olho. Como na maior parte dos casos o glaucoma não causa sintomas, é recomendado realizar esta exame oftalmológico pelo menos 1 vez por ano, especialmente a partir dos 40 anos de idade.   A pressão alta ou Glaucoma pode ter diferentes causas, que incluem: Histórico familiar de glaucoma; Produção excessiva de líquido ocular; Obstrução do sistema de drenagem do olho; Uso prolongado ou exagerado de Prednisona ou Dexametasona; Trauma no olho causado por pancadas, sangramento, tumor ocular ou inflamação; Realização de cirurgia ocular, especialmente para o tratamento das cataratas.   Além disso, o Glaucoma também pode surgir em pessoas com mais de 60 anos de idade, que sofram de pressão alta ou que sofram de miopia axial. Geralmente, o tratamento da pressão alta nos olhos pode ser feito com o uso de colírios ou remédios, podendo nos casos ser necessária a realização de tratamentos com laser ou de uma cirurgia aos olhos. A pressão alta nos olhos também pode causar esclerite, uma inflamação nos olhos que em alguns casos pode levar à cegueira.   Fonte: Tua Saúde....

Botão Leia Mais

Como é feita a cirurgia para Astigmatismo

Posted by on jun 5, 2019 in Blog, Featured | 0 comments

Como é feita a cirurgia para Astigmatismo

O astigmatismo pode ser corrigido por meio de cirurgia, que normalmente é indicada para pessoas com mais de 18 anos ou que têm o grau estabilizado. A cirurgia é feita com anestesia local e normalmente dura cerca de 20 minutos, podendo variar de acordo com o tipo de cirurgia recomendada pelo oftalmologista. Os tipos de cirurgia para mais utilizados para astigmatismo incluem: – Cirurgia LASIK: Nesse tipo de cirurgia é feito um corte na córnea e depois é aplicado laser diretamente sobre o olho para alterar a forma da córnea, permitindo a formação correta da imagem e evitando a sensação de duplicidade e de pouca nitidez. Normalmente a recuperação é muito boa e o ajuste do grau é muito rápido. Entenda como é feita a cirurgia LASIK. – Cirurgia PRK: Nesse tipo de cirurgia é retirado o epitélio da córnea (parte mais superficial da córnea) com uma lâmina e aplicado laser sobre o olho. Em seguida é aplicada uma lente de contato para evitar dor no pós-operatório. O pós-operatório desta cirurgia é mais demorado e o paciente pode sentir dor, porém é uma técnica mais segura a longo prazo. Saiba mais sobre a cirurgia PRK. Riscos da cirurgia: Apesar de não serem muito frequentes, a cirurgia par astigmatismo apresenta alguns riscos, como por exemplo: – Não correção total do problema, sendo necessário que a pessoa continue usando óculos ou lentes de contato; – Sensação de olho seco devido à diminuição da lubrificação do olho, o que pode causar vermelhidão e incômodo; – Infecção no olho, que está mais relacionada à falta de cuidado após a cirurgia. Nos casos mais graves, pode ainda acontecer cegueira devido a infecções da córnea, no entanto, esta é uma complicação muito rara e que pode ser evitada com uso dos colírios no pós-operatório. Porém, o oftalmologista não pode garantir que não há risco de infecção. Fonte:...

Botão Leia Mais

Como tratar o terçol no bebê

Posted by on mar 26, 2019 in Blog, Featured | 0 comments

Como tratar o terçol no bebê

Para tratar o terçol no bebê ou na criança deve-se colocar uma compressa morna em cima do olho, 3 a 4 vezes por dia, para aliviar a dor e o inchaço. Geralmente, o terçol na criança cura sozinho após cerca de 8 dias e, por isso, não é necessário utilizar pomadas com antibióticos para tratar o problema. No entanto, caso os sintomas não melhorem após 1 semana é recomendado consultar o pediatra para iniciar o tratamento adequado. Já no caso de terçol no bebê com menos de 3 meses de idade é sempre aconselhado ir ao pediatra antes de iniciar qualquer tipo de tratamento em casa. Como acelerar a recuperação do terçol Durante o tratamento do terçol no bebê, é necessário ter alguns cuidados, como: Não espremer ou estourar o terçol, pois pode piorar a infecção; Utilizar uma gaze nova cada vez que fizer a compressa morna, pois a bactéria permanece na gaze, piorando a infecção; Utilizar uma gaze nova para cada olho, no caso de existir terçol nos dois olhos, para evitar que a bactéria se alastre; Lavar as mãos depois de fazer a compressa morna no bebê, para evitar pegar a bactéria; Lavar as mãos do bebê várias vezes por dia, pois ele pode tocar no terçol e pegar a outra pessoa; Limpar o olho com uma gaze morna quando o pus do terçol começar a sair para retirar todo o pus e limpar o olho do bebê. O bebê pode ir para a creche ou, no caso da criança, para a escola, no entanto, é importante fazer compressa morna antes de ele sair de casa e quando voltar e lavar várias vezes as mãos durante o dia. Como fazer as compressas mornas Para fazer as compressas mornas, basta encher uma taça com água morna filtrada, verificar a temperatura com o pulso de forma que não esteja muito quente para não queimar o olho do bebê, mergulhar uma gaze esterilizada e colocar no olho com o terçol durante 5 a 10 minutos. As compressas mornas devem ser colocadas no olho do bebê ou criança cerca de 3 a 4 vezes ao dia, sendo uma ótima dica colocá-las quando o bebê estiver dormindo ou mamando. Quando ir no pediatra É recomendado ir ao pediatra quando: O bebê tem menos de 4 meses; Surge febre acima de 38º C; O terçol demora mais de 8 dias para desaparecer; O terçol volta a surgir pouco tempo após ter...

Botão Leia Mais