Pages Navigation Menu

Alteração em exame oftalmológico pode indicar outras doenças

Alteração em exame oftalmológico pode indicar outras doenças

A Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO) convoca os homens e mulheres com mais de 40 anos a fazer exames dos olhos. A campanha tem o objetivo de avaliar a saúde ocular da população e também checar como anda o coração dos adultos de meia idade.

“A faixa dos 40 anos coincide com o período de vista cansada e portanto de visita ao oftalmologista. É também quando surgem as primeiras manifestações de muitos problemas cardiovasculares”, afirma o vice presidente da SBO, Marcus Sáfady.

“Reforçamos a importância da visita ao médico dos olhos como uma forma de saber como anda a saúde do corpo em geral. Os exames nas vistas podem indicar presença de diabetes,hipertensão e colesterol.”

Segundo o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, alguns fatores de risco que ameaçam o coração são os mesmos que comprometem a visão.

“Obesidade, alimentação inadequada, falta de atividades físicas também provocam alterações na retina e na capacidade de enxergar. Glaucoma, por exemplo, caracterizado pelo aumento da pressão ocular, também indica aumento da pressão arterial”, explica.

Os pesquisadores da Universidade de Washington e da Universidade de Michigan, ao estudar como a poluição pode comprometer o funcionamento cardíaco, descobriram que os efeitos podiam ser mesurados em uma avaliação dos olhos. A explicação deles é simples: os vasos sanguíneos existentes na cavidade ocular são muito parecidos com os existentes no coração e, por isso, afetados pelos mesmos fatores de risco.

Quando os testes da visão sugerem alterações cardíacas, reforça Leôncio Queiroz Filho, não é descartada a necessidade de outras análises clínicas que avaliam o sistema cardiovascular, como ecocardiogramas por exemplo.

Outra orientação do oftalmologista: não adianta esperar muito para procurar avaliação especializada. Uma visão comprometida pelo diabetes, por exemplo, quase sempre é detectada quando a doença metabólica já está em situação de absoluto descontrole, o que limita também o arsenal terapêutico para tratar a visão.

“Visitar o médico rotineiramente é a melhor opção”, indica o vice-presidente da SBO.

Fonte: Saúde iG